Buscar

Dando um boost na autoestima



Com a autoestima em baixa, pouco entusiasmo tínhamos com a Olimpíada. Crise, falta de dinheiro, Zika, poluição, desconfiança e decepções predominavam. Depois da bela e emocionante abertura, entretanto, pudemos experimentar o alívio do pessimismo e até a volta da alegria. Continuamos a ser um povo capaz de realizar coisas boas e de agradar a nós mesmos e aos outros, apesar dos problemas mais sérios. Muitas vezes nos sentimos da mesma forma em nossa vida pessoal, quando as dificuldades nos desanimam e nos fazem esquecer nossas forças e virtudes.


O fato de não atentarmos para nossas qualidades não significa, todavia, que elas não existam; tampouco as anula. Pelo contrário, pode fortalecê-las. Não precisamos ser os melhores em nada ou chegar em primeiro lugar. Basta valorizarmos o que já existe, o que já conquistamos. Focar no que temos, sabemos e somos pode nos ajudar a renovar a alegria e a disposição para sair em busca de soluções e novas conquistas. O que, com a autoestima em alta, é bem mais fácil e divertido.