Relacionamentos 

Embora nos transtornos emocionais também sejam abordadas as interações interpessoais, o foco da terapia pode estar nos relacionamentos afetivos, sociais ou profissionais.

O modelo cognitivo aplicado em relacionamentos envolve identificar e substituir crenças, regras e suposições desfavoráveis e distorcidas da realidade. Um exemplo de crença desfavorável pode ser "as pessoas não são confiáveis". Um exemplo de regra é "tenho que estar sempre no controle para não ser rejeitado". Um exemplo de suposição é pensar "se sou criticado significa que não sou uma boa pessoa".

Em geral, alguns temas presentes são confiança, intimidade, assertividade (ser firme em relação às próprias necessidades), estilos de interação hostil, defensivo, crítico e exigente e dificuldades em lidar com autoridade e poder. Experimentos comportamentais ajudam a testar pensamentos e comportamentos mais adaptativos.

 

Ao longo da vida, são comuns surgirem situações difíceis de enfrentar, como término de relacionamento afetivo, perda de ente querido ou desemprego. A ajuda profissional pode ajudar a superá-las com menos sofrimento, aproveitando ao máximo as oportunidades de conhecimento e fortalecimento pessoal que oferecem.

Relacionamentos